fbpx

3 tipos de servidores em nuvem: conheça o mais útil para sua necessidade

Nos dias atuais, a computação em nuvem vem ganhando cada vez mais espaço em todas as partes do mundo, sendo amplamente utilizada por empresas e pessoas. Desta maneira, quando tocamos no assunto, fica difícil não mencionar o cloud server, ou melhor, servidor em nuvem.

O servidor em nuvem é apenas mais uma forma de utilizar a computação em nuvem. Sendo uma alternativa constantemente buscada pelos mais diversos tipos de negócios.

Uma coisa é certa: os servidores em nuvem proporcionam grandes benefícios para os usuários. Porém, nem todo mundo tem as informações necessárias para recorrer a essa alternativa, o que acaba limitando a utilização.

Para você compreender melhor a função dos servidores em nuvem, bem como os principais tipos disponíveis no mercado, não deixe de ler esse texto até o final.

Esse conteúdo tem o objetivo de tirar diversas dúvidas recorrentes sobre o assunto, ajudando você a tomar uma decisão certa no que se refere aos serviços em nuvem.

Vamos lá?

Primeiramente, o que é um servidor em nuvem?

Como foi dito anteriormente, um servidor em nuvem é mais uma maneira de utilizar a computação em nuvem. Na prática, a técnica pode ser definida como a utilização de várias máquinas formando um sistema integrado para armazenar e processar os dados.

Essa estrutura acaba dando destaque aos servidores em nuvem. Principalmente quando observamos os ganhos em desempenho e performance que o mecanismo gera.

Na verdade, essa é uma solução mais leve e otimizada para hospedagem. Sua característica organizacional dos núcleos de processamento possibilita uma melhor administração e compartilhamento dos recursos alocados.

Você pode pensar nos servidores em nuvem como um “local” onde há diversos processadores, hardwares, HDs, etc. Quando existe uma performance em conjunto de tudo, utilizando a capacidade de forma coletiva, forma-se o que chamamos de nuvem, ou cloud.

Ao contrário das outras opções, o usuário de um servidor em nuvem paga somente o que será utilizado. Ou seja, as suas necessidades serão atendidas de forma totalmente coerente.

Como um servidor em nuvem funciona?

Um servidor em nuvem funciona de forma compartilhada. Ele oferece um enorme poder de processamento através de várias máquinas trabalhando em conjunto.

Por outro lado, por mais que essas máquinas funcionem de maneira compartilhada, elas não deixam de ser independentes. Desta maneira, um servidor envolvido em um determinado processo atua de uma forma que vai além da sua capacidade. Utilizando a performance de outros servidores, bem como emprestando a sua para outros.

Não precisa nem mencionar mais uma vez os ganhos de performance e desempenho que isso gera, não é verdade? Além disso, os servidores em nuvem ainda podem contar com um servidor reserva, uma solução caso exista algum problema. Isso evita, por exemplo, que os arquivos sejam perdidos.

Assim, disponibilizando alternativas sofisticadas no mercado, a computação em nuvem vem ganhando cada vez mais espaço. Sendo buscada por pequenas, médias e grandes empresas dos mais variados segmentos de atuação.

Quais são os benefícios do servidor em nuvem?

Que tal conhecer melhor os benefícios que o servidor em nuvem consegue proporcionar para os usuários? Para compreender melhor a sua importância, é importante levar em consideração os motivos que tornam o servidor em nuvem uma opção extremamente importante no mercado. Confira:

Quais são os tipos de cloud computing?

Os fornecedores em nuvem desenvolveram modelos diferentes de entrega e gerenciamento. Contudo, o melhor aproveitamento de cada um pode variar de acordo com as situações e necessidades dos usuários, bem como as demandas das empresas.

fundo azul com a logo da Hybrid no canto direito inferior

Essa ramificação acabou chegando a três diferentes tipos de modelos que são considerados os principais. Vamos conhecer cada um deles?

Dentre as opções, essa é considerada a mais popular. A cloud pública foi o primeiro modelo oferecido no mercado, mas acaba gerando uma má interpretação por parte dos usuários leigos.

O termo “pública” não está diretamente associado aos fatores de privacidade. Portanto, isso não significa que os clientes do serviço vão poder visualizar ou acessar informações uns dos outros, certo?

Na prática, a provedora de serviços de nuvem (CSP) gera uma estrutura própria de servidores e distribui os recursos entre os seus clientes. Isso ocorre sem que a segurança seja deixada de lado. É exatamente por isso que esse modelo faz enorme sucesso, além de sair mais em conta em diversas situações.

Ao contrário da nuvem pública, a nuvem privada possui uma infraestrutura de servidores dedicada somente ao cliente. Em função disso, seu custo acaba sendo maior.

Mesmo tendo um custo maior, esse modelo consegue proporcionar uma série de vantagens que podem ser imprescindíveis para o contratante. A principal vantagem é a customização do serviço, evitando que a TI se adapte a serviços padronizados. Desta forma, o que você contrata é justamente o que você precisa, na medida certa.

Além disso, o controle de acesso e monitoramento são alguns exemplos de processos facilitados pela nuvem privada. Quando há algum problema no sistema, fica mais fácil fazer a identificação.

Após a consolidação dos dois modelos anteriores, o mercado começou a perceber que poderia aproveitar melhor as duas opções. De um lado existe uma opção com menores custos e grande flexibilidade, enquanto o outro lado atua melhor no controle e gestão dos dados.

Explorando essas qualidades da nuvem pública e privada, a nuvem híbrida surgiu. O sistema conseguiu integrar a oferta de nuvem dos dois modelos. Porém, é extremamente importante levar em consideração a disponibilidade de tempo e capacidade do setor de TI para fazer o gerenciamento correto.

Quais são os modelos de implementação cloud?

Além da forma como as nuvens são oferecidas aos clientes, há também algumas variações na forma em que elas são implementadas.

Se você observar bem, a nuvem deixou de ser apenas um armazenamento remoto, sendo também uma base para sistemas tecnológicos, executando e gerenciando diferentes processos de uma empresa. Veja algumas maneiras de implementação da nuvem:

Software como um serviço (SaaS): entrega virtualizada de aplicações que podem ser acessadas e visualizadas de forma mais fácil;

Plataforma como serviço (PaaS): uma camada a mais da virtualização. É quando a CSP proporciona um sistema mais completo que gerencia a produtividade da empresa;

Infraestrutura como serviço (IaaS): é uma forma em que, além do sistema, a CSP proporciona recursos computacionais remotos para acelerar processos e também melhorar o processamento de grandes volumes de dados;

Qual modelo escolher?

Não se preocupe, essa é uma dúvida bastante comum. Estamos aqui para ajudar você a encontrar o melhor modelo!

Mas, é importante lembrar que conhecer as necessidades é o primeiro passo que deve ser dado antes de tomar uma decisão. Afinal, como você vai buscar uma solução sem ter ao menos um propósito, não é mesmo? Pois bem, tendo isso em mente, confira algumas informações importantes que preparamos para você sobre cada um dos modelos. Lembre-se que esse é apenas um direcionamento, algo longe de ser uma regra.

O que você achou deste texto? Caso tenha gostado, saiba que tem muitos outros conteúdos importantes no nosso blog. Basta clicar aqui para acessar!

banner news

Parceiros